Home // Projetos inscritos //

Rede de Cultura Digital Indigena

projeto inscrito por Anápuáka Muniz Tupinambá Hã-hã-hãe (Etnia Tupinambá) | Erick Muniz

, , , , , ,

REDE CULTURA DIGITAL INDIGENA NO FESTIVAL CULTURADIGITALBR

Apresentação
Um projeto de conceito em etnomidia em SL (Software Livre) e transição pelo SP (Software Proprietário), para construção de uma rede social colaborativa que gerem conteúdo tecnológico comunitário, de conhecimento, cultural, informativo e de compartilhamento com os povos originários e não indígenas com conteúdo Creative Common, assim levando o conhecimento a partir de uma mídia étnica e critica pelo olhar dos povos originários em alianças estratégicas para ensino e qualificação de não indígenas da área de TIC em Software Livre e Softwares Proprietários.
OBJETIVO GERAL: Capacitar povos originários nas tecnologias de código livre e proprietário caso não tenhamos acesso a tecnologia livre adequada culturalmente, qualificação pratica para uso colaborativo em tecnologia de informação e comunicação dentro e fora das aldeias indígenas.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Incentivar a produção de textos, imagens, e vídeos com o uso da tecnologia conceituado pela etnomidia; Facilitar o diálogo intercultural acesso à informação e comunicação para diferentes etnias indígenas; Possibilitar o resgate e registro do patrimônio imaterial.

Justificativa
Foi criada uma rede de cultura digital indígena no I° SIMPÓSIO INDÍGENA SOBRE USOS DA INTERNET EM COMUNIDADES INDÍGENAS DO BRASIL, Universidade de São Paulo (USP) – SP realizado durante o período de 24 a 27 de Novembro de 2010, E com a nossa aprovação nós indígenas das Etnias presentes ao evento: Baniwa, Caripuna, Guajajara, Guarani, Ikpeng , Jaminawa , Kuikuro, Pankararu , Piratapuia , Surui , Tapeba , Tupinambá , Xakriabá e Yekuana , nós cremos na constituição de um marco histórico na Cultura Indígena no Brasil ao criar e gestar uma Rede das Redes Indígenas Digitais conectados e que irão gerar Redes Vivas Sociais e Cultural e que venham colaborar com o entendimento para a população brasileira não indígena quem somos neste país. Autodeterminação e autonomia dos povos indígenas, Diálogo intercultural, Ética Inter-étnica, O Respeito à diferença cultural, Direitos diferenciados, Transversalidade da cultura, Etno-desenvolvimento, Protagonismo indígena, Proteção aos conhecimentos tradicionais associados à biodiversidade, Respeito aos direitos autorais coletivos e propriedade intelectual. Este e o objetivo principal com a criação desta REDE CULTURA DIGITAL INDIGENA, Queremos neste evento apresentar com nossas experiências sócias, culturais e digitais e os avanços que nós obtivemos em nossas aldeias, por meio de bate papos (rodas de prosas) com interessados na dinâmica da cultura digital e que hoje estão presente também na cultura indígena brasileira e criar uma rede das redes indígenas. São princípios do Plano Setorial para as Culturas Indígenas aqueles adotados pelo Plano Nacional de Cultura, acrescentando-se os princípios e a qual também nós adotamos:

➡ Autodeterminação e autonomia dos povos indígenas
➡ Diálogo intercultural
➡ Ética Interétnica
➡ Respeito à diferença cultural
➡ Direitos diferenciados
➡ Transversalidade da cultura
➡ Etnodesenvolvimento
➡ Protagonismo indígena
➡ Proteção aos conhecimentos tradicionais associados à biodiversidade
➡ Respeito aos direitos autorais coletivos e propriedade intelectual

Intervenção
Durante o evento reunir e fazer bate papos abertos, buscar intervenções de presenças nas demais ações do Festival CulturaDigitalBr e durante o evento desenvolver coletivamente o portal da rede em WordPress que será um radar para indexar demais blogs, web e portais indígenas onde seu conteúdo ira atualizar a rede com informações via RSS e que ira ser postada automaticamente na Lista de Noticias indígenas vindo diretamente da fonte com seus aspectos únicos de quem realmente entende e é cultura indígenas indo para a primeira pagina conteúdo, assim reenviada para todas a redes e mídias sociais for ferramentas que iremos coletivamente nomear como ideal para nós.Objetivo e levar as 16 etnias podendo chegar a 30 etnias, que deu-se a totalidade representantes indígenas que de formaram democraticamente a constituição da REDE DE CULTURA DIGITAL INDIGENA onde esta aberta para demais etnias participarem sem limites apenas com a vontade de estar e participar e contribuir com a coletividade da cultural digital indígenas gerando trocas de informação, experiência e conteúdo para fomentar a redes com diversidade de informação de cultura indígena Romper com a marginalidade dos povos indígenas em relação ao acesso aos bens culturais do país.
Esperamos articular através de redes sócias vivas e digitais os meios práticos de poder ajudar nossos parentes com documentação, cidadania, tecnologia da informação e comunicação, e apoiando na criação de blogs de suas etnias e individuais onde possamos mostra ao Brasil e demais povos do Mundo nossa presença ainda na cultura e o nosso toque cultural, nosso olhar de nós para nós em relação a nossa cultura e buscar parcerias para dinamizar estas ações em in loco. É a falta de cultura que não percebe a importância da cultura no desenvolvimento de um país. A educação ensina a ler e escrever, mas só a cultura ensina a enxergar Ao patrocinar novos talentos culturais, uma empresa agrega à sua marca o valor de quem sabe “apostar no futuro”. A educação ensina a ler e escrever, mas só a cultura ensina a enxergar, “Estamos abertos para discutir outras formas de retorno de interesse da empresa”.

Ata do I Simpósio Indígena sobre Usos de Internet nas Comunidades Indígenas do Brasil
As lideranças e indígenas, reunidas no I Simpósio Indígena sobre Usos de Internet nas Comunidades Indígenas do Brasil durante os dias 22 a 26 de Novembro de 2010, na sala da antiga biblioteca do Prédio de História e Geografia da FFLCH na USP (Universidade de São Paulo) em São Paulo-SP, após amplos debates chegaram às conclusões que seguem sobre o uso da Internet nas Comunidades Indígenas:
As dificuldades existentes:
- Dificuldade de Conexão: a antena Gesac que hoje se encontram nas Aldeias Indígenas não tem suprido a necessidade de conexão nas aldeias, tendo inclusive falhado constantemente em algumas Comunidades. São poucos os pontos de conexão nas aldeias Indígenas. A velocidade disponibilizada não permite downloads, upload; Muitas Aldeias onde foi prometida a instalação de conexão ainda não foi instalada.
- Falta de equipamentos: os equipamentos que chegam às aldeias são muitas vezes velhos sem funcionar, os programas não são de fácil uso, equipamentos e software ultrapassados; é preciso tornar mais simples (desburocratizar) o processo aquisição de Kits de Infocentros.
- Falta de manutenção: é necessário a formação de uma equipe indígena para manutenção dos computadores nas Comunidades Indígenas;
- falta de formação de equipe técnica nos pontos de acesso (equipe de multiplicadores): é necessário formação de indígenas multiplicadores do uso das máquinas.
- falta de comunicação entre os indígenas que usam a internet
Encaminhamentos:
Diante de tudo que foi levantado e discutido pelos parentes presentes, ficou acordado a criação de uma Rede das Redes, um espaço que aglutinaria todas as redes, sites e blogs indígenas hoje existentes, para melhorar o diálogo entre os povos indígenas, fortalecer a cultura e ser um espaço de cobrança de nossos direitos.
Ficou claro que é urgente que mais aldeias sejam conectadas uma vez que é uma necessidade para uma maior comunicação com o mundo externo às aldeias e entre nós mesmos. A internet nas aldeias é uma ferramenta para buscar melhorias para as Comunidades Indígenas, daí a URGÊNCIA em solucionar os vários problemas que existem nas Aldeias como a conexão (muito lenta isso quando funciona), a falta de Computadores (muitos estão ultrapassados e sucateados) e demais questões acima citadas.
É necessário que tenham mais encontros como estes pois é de suma importância discutir o tema da Internet nas aldeias, melhorias das condições do uso desta internet e o fortalecimento das Rede das Redes que chamados Rede Digital Cultura Indígena.
Por fim ficou a cargo da Rede Índios on Line e Web Brasil Indígena nas pessoas de Graciela Guarani, Alex Pankararu, Potyra Tê Tupinambá e Anapuáka Muniz Tupinambá Hãhãhãe dar o suporte para os povos que ainda não tenham seus sites e blogs e também na criação do espaço virtual das Rede Digital Cultura Indígena.
01. Josinei Aniká dos Santos [Karipuna]
02. Maurício Yekuana [Yekuana]
03. Elizeu Nascimento Pedrosa [Piratapuia]
04. Raimundo Benjamim Baniwa [Baniwa]
05. Daniel Baniwa [Baniwa]
06. Jean Hundu Arara Jaminawa [Jaminawa]
07. Almir Narayamoga Suruí [Suruí]
08. Chicoepab Suruí [Suruí]
09. Takumã Kuikuro [Kuikuro]
10. Kumaré Txicão [Ikpeng]
11. Karané Txicão [Ikpeng]
12. Devanildo Ramires [Guarani Kayowá]
13. Elivelton de Souza [Guarani Kayowá]
14. Paulo Gomes Guajajara [Guajajara]
15. Edivan dos Santos Guajajara [Guajajara]
16. Járdilla Simões Jerônimo [Tapeba]
17. Alex Pankararu [Pankararu]
18. Graciela Guarani [Guarani Kayowá]
19. Potyra Tê Tupinambá [Tupinambá]
20. Anapuáká Muniz Tupinambá Hã-hã-hãe [Tupinambá Hã-hã-hãe]
21. Lucas Benite Xunu-Miri [Guarani Mbya]
22. Nélida Rete Venega [Guarani Mbya]
23. Ataíde Vilharve [Guarani Mbya]
24. Jonesvan Xakriabá [Xakriabá]
São Paulo, 26 de novembro de 2010

Saiba mais: http://www.usp.br/nhii/simposio/
Fotos: http://www.flickr.com/photos/56376863@N06/sets/72157625345707337/

Anápuáka Muniz Tupinambá Hã-hã-hãe (Etnia Tupinambá)

TI Caramuru Catarina Paraguassu – Aldeia Água Vermelha / Pau Brasil – BA
TIC e Agente Cultural Indígena
Conselheiro Suplente da Região Sudeste do Colegiado Setorial de Cultura
Indígena / Ministério da Cultura – Conselho Nacional de Política Cultural – CNPC
Residente em Rio de Janeiro – RJ

MSN: erickmuniz@ig.com.br
Gtalk: anapuakamuniztupinamba@gmail.com
Twitter:@anapuaka / @anapuakamuniz
Skype:anapuakamuniz
ICQ: #637254466
Emails: anapuakamuniztupinamba@gmail.com
Tel/Cel: +55(21)8803.5550 / 9587.3732

Comentários

 

Please log in to vote

You need to log in to vote. If you already had an account, you may log in here

Alternatively, if you do not have an account yet you can create one here.